O pedido de casamento surge em Agosto de 2016, ela em Portugal e ele em Luxemburgo 2000 km de distancia e agora?

“Só saiu de casa, casada”
A distancia torna-se insustentável e por decisão de ambos, mudei-me para o Luxemburgo. Mas como manter esta condição, com a necessidade de mudar-me? Sem problemas, marcamos o casamento no registo civil em Dezembro de 2016.
Mas ainda assim precisei ficar por Portugal devido ao trabalho e aproveitei e marquei a igreja já para Agosto de 2017.

Mãos à obra
Agora estava por minha conta e risco, 8 meses para a preparação do meu casamento sem ajuda de um profissional, mas com muita ajuda de pessoas próximas.
Em dois meses fiz as marcações, quinta, animação e fotografo. Eis que chegou a hora de partir para Luxemburgo.

Novo pais
Chegada ao novo país e com tanta mudança, só comecei a procurar emprego mais tarde. Dedicada a nova realidade de casada, novo país, nova casa, enfim. Tudo se fez novo!
Por isso grande parte das minhas encomendas formam pela Internet, e enviadas para a casa da minha sogra.

Uma semana em Portugal
Em Julho fui a Portugal, para um baptizado e aproveitei para fazer a prova do vestido, ver a florista e a Quinta, onde fui surpreendida, com algo que não esperava, a decoração não estava incluída no valor acordado e gastos extra estavam fora de questão, eu mesma tratei da decoração.

A ideia era economizar,combinei com a noiva que iria casar na mesma igreja que eu, um dia depois tratámos com a decoradora e aceitou a nossa proposta de aproveitar a decoração e apenas mudar a cor, por um preço muito acessível.

O stress final
De Luxemburgo para Portugal, tinha que certificar todos os pagamentos, entrega de encomendas que não chegavam, as provas de roupa enfim, tudo controlado e até me divertia com tudo. Quando via que, já estava a ficar tudo encaminhado acabava por sentir um vazio dentro de mim, por falta daquele stress.

O grande dia
O dia começou cedo e fui para o salão com toda a família, a cabeleireira estava impressionada com a minha calma, em 30 anos de carreira nunca tinha visto uma noiva assim.

 

Do salão fui para casa e aí sim, caiu-me a ficha, com as pessoas a olharem para mim, enfim. Tirei as típicas fotos e saí rumo a igreja com 45 minutos de atraso, já minguem acalmava o noivo.
O menino das alianças deixou cair uma das alianças, de tão nervoso que estava, ficaram em pânico, mas lá encontraram, e eu finalmente entrei na igreja. Acompanhada pela minha mãe, mas que momento incrível, uma sensação única, a caminho do meu futuro.

Não mudaria nada, foi um dia incrível diverti-me imenso, só queria que tivesse durado mais um pouco, saí da quinta eram cinco da manhã, pronta para dormir.

Lembro me do meu marido me ligar no dia seguinte de manhã a dizer me que se tinha alguma dúvida, aquele afastamento daquela noite lhe tirou as dúvidas todas , que já não sabia ter uma vida se não fosse comigo.

Se disser que correu tudo bem estaria claramente a mentir, mas não mudaria nada!

Alberto Costa – Rio Meão
Marlene Rualde – Espinho

Agradeço aos fornecedores:

Local – Quintinha da Seitela
Animação – Getsound
Silvia Francisco-sapatilhas personalizadas
Ângela Timóteo Neves – sesta das alianças e o livro de honra
Nice Melo Ribeiro – arroz colorido